Concurso Fryderyk Chopin | Retrospectiva

por Tiago Halewicz, diretor cultural da Casamundi

O Concurso Internacional Fryderyk Chopin de Varsóvia, que em outubro deste ano celebra sua 18ª edição, é uma das mais antigas competições de música hoje no mundo. O evento acontece a cada cinco anos e teve apenas uma interrupção, durante a II Guerra Mundial, quando Varsóvia e toda a Polônia foram completamente devastadas.

A ideia de homenagear o compositor polonês surgiu em 1909, quando a Polônia ainda estava dividida e sob o comando das potências vizinhas (Império Russo, Império Austro-Húngaro e Prússia). Essa situação política não permitiu que a proposta evoluísse, já que a obra de Chopin era vista, pelas influências estrangeiras no país, como um símbolo da resistência polonesa.

Em 1918, com o fim da I Guerra Mundial, a Polônia é reconhecida como estado independente, nascendo, assim, a II República. A partir de então, a proposta de um concurso internacional de música passou a tomar forma. Em 1926, como parte das iniciativas para homenagear Chopin, foi erguido no Park Łazienki um grande monumento em sua memória, obra do escultor Wacław Szymanowski.

Com esforços do prof. Jerzy Żurawlew, a primeira edição do concurso aconteceu somente em janeiro de 1927, na antiga sede da Filarmônica de Varsóvia, e contou com 26 participantes de oito nacionalidades diferentes. O evento também simbolizava resistência às tendências anti-românticas da música, que ganhavam cada vez mais espaço na Europa. O primeiro prêmio foi atribuído ao pianista soviético Lew Oborin, de apenas 19 anos. Entre os competidores estavam músicos que se tornariam célebres mais tarde, como Dmitri Shotakovitch e Bolesław Woytowicz.

Na segunda edição, em março de 1932, o concurso recebeu 89 pianistas de 18 países. Dessa vez, formou-se um júri internacional. Entre os jurados, encontravam-se, entre outras celebridades do mundo musical, o compositor francês Maurice Ravel e a pianista brasileira Magda Tagliaferro. Magda participou como jurada ininterruptamente até o ano de 1965. O vencedor foi mais um soviético, Aleksander Uninsky. O segundo lugar foi para um pianista cego, o húngaro Imre Ungar.

Em 1937 o concurso internacional já fazia parte do calendário musical de Varsóvia. Pela primeira vez, Japão e Inglaterra marcavam presença com seus candidatos. A pianista Chieko Hara, a preferida dos espectadores, não recebeu nenhuma premiação, episódio que marcou a primeira dissonância entre a opinião pública e os jurados.

Com a invasão alemã em 1939, a música de Chopin foi proibida. Mesmo assim, continuava a ser executada e escutada pelos poloneses como um ato de resistência, principalmente por parte de organizações clandestinas, como a Armia Ludowa, o Exército do Povo. A eclosão da II Guerra Mundial adiou a quarta edição do concurso, retomado apenas em 1949.

Em 17 edições competiram pianistas que se converteriam em verdadeiras estrelas da música erudita, como Vladimir Ashkenazy (2º lugar em 1955), Maurizio Pollini (1º lugar em 1960), Martha Argerich (1º lugar em 1965), Mitsuko Uchida (2º lugar em 1970), Krystian Zimerman (1º lugar em 1975), Rafał Blechacz (1º lugar em 2005) e Danil Trifonov (3º lugar em 2010). Os brasileiros também marcaram presença. Além de Magdalena Tagliaferro, o pianista Nelson Freire foi membro do júri em 2010. Do lado dos competidores, Arthur Moreira Lima recebeu a segunda colocação em 1965.

Dividido em três fases e mais uma etapa final, o Concurso Internacional de Piano Fryderyk Chopin abarca toda a obra do compositor. Em pouco mais de 20 dias, ecoam em Varsóvia mazurkas, polonaises, estudos, noturnos, valsas e concertos para piano. Chopin transcende a sala da Filarmônica Nacional, conquistando os ouvidos e os corações de todos que visitam a cidade em busca de um verdadeiro tributo ao piano e às linguagens do romantismo.

Foto 1: Cartaz do concurso deste ano.
Foto 2: Parque Łazienki, em Varsóvia, na Polônia.
Foto 3: Lew Oborin: primeiro vencedor do concurso (1927).
Foto 4: Laureados e alguns membros do júri em 1932.
Foto 5: Magdalena Tagliaferro. Pianista brasileira membro do júri de 1932-1965.
Foto 6: Final do concurso (1937).
Foto 7: Pianista Martha Argerich.
Foto 8: Filarmônica de Varsóvia durante as provas do concurso.

0