Dicas para o bem-estar

O conhecimento interno e a autodescoberta são os primeiros passos para nos colocarmos internamente nos eixos, cruzando as nossas próprias fronteiras. E esta é certamente uma forma de tornar o contato com o mundo externo mais leve e prazeroso.
E não é de hoje que a Casamundi se preocupa também com o nosso bem-estar. Desde o ano passado incluímos na programação da Casamundi Cultura atividades para manter mente e corpo em sintonia. Autoconhecimento, holística, yoga, alimentação saudável, culinária vegana, óleos essenciais e mandalas estiveram em pauta.
Pensando nisso, achamos interessante compartilhar algumas dicas que a BBC deu para nos mantermos com a mente saudável durante este período. Reunimos as que melhor se adaptam à nossa realidade:

# distraia-se

# distraia-se

É bem difícil nos desligarmos das notícias estressantes que recebemos. Mesmo antes do coronavírus, já sofríamos com as preocupações com o clima mundial, entre tantas outras que nos afligem. Se sairmos dessa espiral de acontecimentos estressantes, nos ocupando e nos distraindo com outras coisas, nossa pressão arterial volta ao normal muito mais rápido do que se ocuparmos nossa mente com notícias. Tente se desligar um pouco de tudo isso: leia um livro, assista a um filme, escreva, faça o que mais gosta para se distrair.

#2: se faz bem para você, medite.

#2: se faz bem para você, medite.

Nesse cenário, muitas pessoas podem fazer uso da meditação e dar mais atenção à mente e aos pensamentos. Para alguns isso pode ter o efeito contrário. A mente é poderosa. Faça uso dessas ferramentas se meditar faz bem a você, ou saiba abdicar delas com sabedoria. O negócio é manter a mente ocupada com coisas produtivas e que lhe tirem deste foco negativo.

#3: reformule seus pensamentos

#3: reformule seus pensamentos

A forma como interpretamos nossas emoções e o contexto no qual as colocamos é fundamental. Em seu livro sobre a Felicidade, Derren Brown dá o exemplo de um jogador de tênis: se ele entra em uma partida com a mente focada em vencer, se começa a perder, sente imediatamente uma sensação de fracasso e isso influencia na hora seu desempenho. Esse tipo de pensamento e comportamento é uma armadilha para perfeccionistas. Eles acabam respondendo com mais culpa, vergonha e raiva quando sentem que não estão sendo bem sucedidos. Ficam, inclusive, mais propensos a desistir.

Por outro lado, o jogador que entra em quadra pensando “Vou dar o meu melhor”, acredita que estará menos suscetível a perder, por ter em mente que está fazendo o seu melhor, se dedicando ao máximo. A concepção de fracasso é interpretada de forma diferente por cada um desses jogadores, pois se baseia no grau de expectativa que cada um colocou em si.

Vale a pena usar esse exemplo no nosso dia a dia, principalmente agora: cada momento é sobre fazer o seu melhor em uma situação estressante. Por exemplo: cuidar da higiene e do distanciamento social da melhor forma que puder é muito mais produtivo do que preocupar-se com coisas que fogem ao seu controle.

Esse controle mental é a chave. Situações estressantes são assim justamente porque fogem ao nosso controle. Levam nossa mente à ansiedade e a preocupações por querermos controlar o que é incontrolável. Focar no que conseguimos controlar é muito mais produtivo e pode baixar os níveis nocivos de ansiedade.

#4: dê valor às coisas simples

#4: dê valor às coisas simples

A sabedoria está em gastar menos tempo querendo ser feliz e sim focar no que de fato nos traz felicidade.
No seu livro “10 minutos para a felicidade”, Sandi Mann, pesquisadora da Universidade de Central Lancashire, escolheu exercer seu papel de ativista nesta causa mantendo um diário. Sua estratégia baseia-se na psicologia positiva, uma área da psicanálise que acredita ser possível melhorarmos nosso humor e saúde mental se mantivermos o foco nas pequenas coisas cotidianas que nos trazem felicidade.

Ela afirma que responder às seguintes questões, o que toma 10 minutos do nosso tempo, pode ajudar a nos tornarmos mais felizes.

  1. Que experiências, por mais mundanas que sejam, te trazem prazer?
  2. Que tipo de elogio ou retorno você costuma receber que lhe agrada?
  3. Que momentos de pura felicidade e sorte você pode lembrar agora?
  4. Quais foram suas conquistas até aqui, mesmo que nas pequenas coisas?
  5. O que faz você se sentir grato?
  6. De que forma você pratica a gentileza?

Manter essa prática diária é duplamente compensador. Quando colocamos essas respostas no papel ou as escrevemos na tela, lembramos a nós mesmos o que nos traz felicidade. Ter um arquivo do que nos trouxe alegria no passado pode nos ajudar a refletir no futuro.

#5: organização talvez ajude

#5: organização talvez ajude

Se você estiver em quarentena ou evitando sair de casa, aproveite a oportunidade para organizar e limpar sua casa. É difícil termos este tempo precioso e fazer isso traz muitos benefícios.

A bagunça torna mais difícil focar nas tarefas. Se está trabalhando em casa, limpeza e organização ajudam no bem estar e na realização das mesmas.

Um quarto bagunçado traz mais dificuldade até para dormir e descansar. Uma cozinha desorganizada não colabora com a higiene e hábitos saudáveis, como fazer a sua própria comida, por exemplo. Se você vai ficar mais tempo nesse espaço, organize e cuide de sua casa. E coloque a família inteira para colaborar.

Manter essa prática diária é duplamente compensador. Quando colocamos essas respostas no papel ou as escrevemos na tela, lembramos a nós mesmos o que nos traz felicidade. Ter um arquivo do que nos trouxe alegria no passado pode nos ajudar a refletir no futuro.

#6: maneire no uso das redes sociais

#6: maneire no uso das redes sociais

Para muitos, as redes sociais são uma forma de estar atualizado e acompanhar o que acontece no mundo, além de ser um meio de conexão com amigos e familiares. No entanto, muitas vezes absorvemos notícias que não desejamos ou buscamos. Deixar o celular fora do quarto ou regular as horas online pode ajudar a balancear seu uso e minimizar notícias indesejadas.

Lembre-se sempre: as emoções são aquilo que fazemos delas. E estando bem, podemos ajudar melhor os outros.

 

Tradução: Casamundi Cultura
Fonte original aqui.

0