248 anos de porto alegre

Hoje Porto Alegre completa 248 anos. Cidade de muitas faces e múltiplas culturas, é onde a Casamundi se estabeleceu e criou raízes. É aqui o nosso porto seguro, para onde sempre voltamos depois das viagens. É a cidade que nos abraça e acolhe com o pôr do sol mais bonito do Brasil, quiçá do mundo. É o lugar onde recebemos os amigos, onde trocamos, onde sorrimos. Porto Alegre é a nossa casa.

No dia do aniversário da capital gaúcha, contamos um pouco da história do surgimento da cidade, algumas curiosidades e mostramos o cantinho favorito de algumas pessoas da equipe.

o surgimento de porto alegre

A cidade de Porto Alegre tem como data oficial de fundação 26 de março de 1772, com a criação da Freguesia de São Francisco do Porto dos Casais, um ano depois alterada para Nossa Senhora da Madre de Deus de Porto Alegre.
Há registros de que os primeiros habitantes foram os indígenas tapuias, por volta do ano 1000, expulsos, depois, por povos tupis. No século XVI os primeiros europeus chegaram por aqui, mas foi por volta de 1752, que o rei de Portugal determinaria que fosse reunido um grupo de 4 mil casais dos Açores para povoar o Sul. A ideia era que se instalassem na região das Missões, que estava sendo entregue ao governo português em troca da Colônia de Sacramento, por meio do Tratado de Madri. Só que a demarcação das terras demorou tanto que os açorianos acabaram ficando no então chamado Porto de Viamão, primeira denominação de Porto Alegre.

Em 24 de julho de 1773, Porto Alegre se tornou a capital da capitania, com a instalação oficial do governo de José Marcelino de Figueiredo. A partir de 1824, passou a receber imigrantes de todo o mundo, em particular alemães, italianos, espanhois, africanos, poloneses, judeus e libaneses. Este mosaico de múltiplas expressões, variadas faces e origens étnicas, religiosas e linguísticas, traz uma enorme pluralidade cultural.

O historiador, jornalista e advogado Sérgio da Costa Franco, pesquisou por muitos anos a história de Porto Alegre. Ele escreveu diversos livros sobre a cidade, entre eles Porto Alegre: Guia histórico (Editora da UFRGS, 1988); Os viajantes olham Porto Alegre, escrito em parceria com Valter Antonio Noal Filho, que recebeu o Prêmio Açorianos de Livro do Ano (Editora Anaterra, 2004); e Porto Alegre ano a ano: uma cronologia histórica, 1732-1950 (Editora Letra & Vida). Através de suas obras é possível ver como a cidade se expandiu e como seus limites foram crescendo. Se antes a cidade ficava restrita ao Centro, com o tempo os comércios foram se espalhando pelos bairros.

Sérgio da Costa Franco ainda relata que o ano de 1935 foi muito importante para a história da capital. Foi quando ocorreu a Exposição Farroupilha, o ano em que Porto Alegre entrou na modernidade. A área escolhida para a Exposição foi a Várzea da Redenção, aterrada e urbanizada. Depois do evento, o local passou a ser conhecido como o Parque Farroupilha. Na esfera cultural, o ano abriu temporada de uma intensa programação lírica, recebendo artistas como a soprano Vera Fraensel Peyser, o maestro Alfredo Padovani, e cantoras internacionais como Gabriella Besanzoni Lage, Bidu Sayão e Iracema Follador.

Foto 1: Viaduto Otávio Rocha – 1914
Foto 2: Vista área do evento no atual Parque da Redenção. (ANTIGAPORTOALEGRE.NET/DIVULGAÇÃO)

nossa porto alegre

Todos temos nossa história particular com Porto Alegre e por aqui não seria diferente. A equipe da Casamundi conta qual o seu lugar favorito na cidade.

Iberê

“Eu adoro a prainha do Iberê, é o meu lugar favorito de Porto Alegre. Além de contar com um museu incrível, a vista da cidade é uma das mais bonitas. É o lugar onde consigo sentar, aquietar a mente, sentir o vento e a vibração das águas do Guaíba.”

Redenção

“O Parque Farroupilha sempre me acolheu, desde minha adolescência. É o local em Porto Alegre onde me sinto leve. A Redenção é onde me rendo e tenho a certeza de que ali todos cabem, como deveria ser em qualquer lugar do mundo, de forma genuína.”

Parque Germânia

“O Germânia é um dos lugares mais agradáveis de Porto Alegre. É possível estar em contato com a natureza e fugir um pouco do ritmo da cidade. Vou ali para reunir os amigos, estender uma canga e tomar mate. Mas minha atividade preferida neste lugar é correr. Três vezes por semana, acordo cedinho, coloco os fones e parto pro treino.”

Praça da Alfândega

“Sempre tive uma relação próxima com a Praça da Alfândega. Das visitas na infância à Feira do Livro, e mais tarde quando trabalhei nelas e na Bienal do Mercosul, já como jornalista. Visitar o MARGS, o Farol Santander e o Memorial do RS, é um passeio que faço com meus filhos, e eles curtem da mesma forma.”

Vista da Casamundi

“Lugar onde nasci e que escolhi para viver. Entre várias viagens no meu cotidiano, é para Porto Alegre que eu sempre volto, o refúgio que eu posso admirar da janela da Casamundi.”

Orla do Guaíba

“Meu lugar preferido de Porto Alegre é a Orla do Guaíba, da parte do Marinha ao Antigo Estaleiro Só (Pontal). Eu adoro, lá dá para pedalar e caminhar com uma ótima companhia: o Guaíba.”

0